FotoMochileiros

Dicas de Paris

6

Continuando nossa série de posts com dicas das principais cidades, vamos passar algumas coisinhas da bela Paris que fizeram bem para a nossa experiência e para o nosso orçamento.

Como fizemos em Londres, alugamos um quarto pelo site AirBnB também em Paris. Mas vejam só, a dona da casa viajou e ficamos com o apartamento só para nós por apenas 100 reais por noite para os dois. Considerando que os albergues, com seus quartos compartilhados, estavam na média de 30 euros para cada um, foi um belo achado, não?

Detalhe da cozinha do nosso apê em Paris (que finos, haha!)

Detalhe da cozinha do nosso apê em Paris (que finos, haha!)

Quanto ao lazer, um programa legal de se fazer é seguir os passos de Amelié pela cidade. Para quem não conhece, “O Fabuloso Destino de Amélie Poulin” é um filme incrível que tem Paris como cenário (e quase como personagem da história). Vale muito a pena assistir este filme de qualquer maneira, mas para quem vem para a cidade, deveria ser obrigatório. Aí você pode tentar encontrar a ponte do Canal Saint Martin da qual ela joga suas pedrinhas, ou ir ao café em que ela trabalha, ou encostar no murinho da Sacre-Coéur para onde ela guia seu amado Nino. Nós fizemos tudo isso e nos divertimos muito.

Café Deux Moulins, o local onde Amélie trabalha.

Café Deux Moulins, o local onde Amélie trabalha.

Paris também tem alguns parques bem interessantes. Nós gostamos muito de nos perder nas trilhas do enorme – e menos conhecido pelos turistas – Bois de Vincennes e depois sentar nas margens do lago do parque.

Guto no Bois de Vincennes.

Guto no Bois de Vincennes.

Já a alimentação é um pouco cara na cidade. Nós preferimos ir ao mercado e cozinhar nossa própria comida. Uma compra de 50 euros rendeu mais de dez refeições para nós dois, considerando cafés-da-manhã, lanchinhos, almoços e jantas. Almoçamos fora apenas uma vez, aproveitando um “formule” por 11 euros pra cada um, menu que inclui entrada, prato principal e sobremesa.

Restaurante onde aproveitamos o “Formule”.

Restaurante onde aproveitamos o “Formule”.

Outro dia fomos na feira de rua da Bastille, que acontece aos sábados, e compramos várias gostosuras para um piquenique por preços camaradas: queijo, azeitonas, macarons, vinho e frutas. E partimos para o principal programa de Paris: admirar a charmosíssima Torre Eiffel.

Piquenique aos pés da famosa (e linda) torre.

Piquenique aos pés da famosa (e linda) torre.

Programa que, inclusive, fizemos várias vezes, apenas de maneiras diferentes. A loja de departamento Printemps possui um belo terraço e nas quintas-feiras fica aberta até as 22h. Nós aproveitamos o horário especial e fomos lá admirar o pôr-do-sol.

Torre vista do terraço da Pristemps: romantismo no ar.

Torre vista do terraço da Printemps: romantismo no ar.

Também vale a pena ficar passeando pelas ruazinhas de Paris e de repente esbarrar com a bela vista da torre. Todos esses programas são tão incríveis que mal dá para acreditar que é de graça. 😉

Esbarramos com este pôr-do-sol enquanto passeávamos por lá. É preciso explicar por que adoramos Paris?

Esbarramos com este pôr-do-sol enquanto passeávamos por lá. É preciso explicar por que adoramos Paris?

6 Comentários / Comments

  1. Lucia

    Parabéns pela iniciativa de vcs, como é difícil nos desprender do nosso cotidiano e criar outros novos caminhos!! Adorei. As dicas estão ótimas, deu vontade de vender tudo e sair por ai com meu marido!! Boa viagem…

    Responder
    • FotoMochileiros

      Oi Lucia! Que ótimo que estamos inspirando alguém a traçar novos caminhos. Não precisa vender tudo, mas às vezes se desapegar de algumas coisinhas já permite uma viagem a mais, né?
      Obrigado pelo apoio! 🙂

      Responder
  2. Thalita Uba

    Boas dicas, comprar comida no mercado e fazer por conta é, definitivamente, a melhor coisa (não só em Paris, mas na maioria das cidades). E seguir os passos da Amélie, pra mim, é mais obrigatório que ir ao Louvre hahaha 🙂

    Responder
    • FotoMochileiros

      Nem fale, Thali! Além de permitir uns almoços com cara de “casa”, dá pra economizar bastante! E nós quase não fomos ao Louvre, mas de seguir a Amélie não abriríamos mão! Hehehe.

      Responder

Envie seu comentário!